terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Flash Submersos - O agir do Espírito Santo sobre o homem
Jubrac Jacuí20:33

O agir progressivo do Espírito Santo sobre o homem

As escrituras mostram que o agir do Espírito Santo sobre o ser humano segue uma linha progressiva, crescente. Primeiro, Ele age para salvar o homem (At 1:8). Em seguida, Ele trabalha para mudar o caráter do homem e a isso chamamos de santificação (2 Co 3:18).
Deus envia a Jesus para salvar a humanidade (2 Co 5:19) e Jesus envia o Espírito Santo para guiar, fortalecer e ajudar a igreja em sua missão. Depois do Espírito Santo, não vira mais ninguém. Se os homens rejeitaram a Deus, veio Jesus. Se rejeitaram a Jesus, veio o Espírito Santo, mas se o rejeitarem, será o fim.

Convicção: O Espírito Santo não acusa ninguém de pecado, quem faz isso é o diabo (Ap 12:10). Por outro lado, o Espírito Santo convence o homem de seu pecado. No ato da evangelização, Ele imprime no coração do homem a verdade acerca da salvação em Cristo ou a condenação por conta da rejeição (Rm 3:23 / 6:23). Mas, é presumível q ele insista com o homem até o fim (Dt 30:18-20).

Quando falamos de benção e maldição, nos referimos à benção de quando o homem reconhece o que Deus fez por ele, a obra da cruz do calvário. Já a grande maldição, é quando, após conhecer sobre a verdade do que Deus fez por ele, o homem rejeita de forma voluntária Seu sacrifício. Deus dá ao homem o direito de escolher aceitá-lo ou não.

Por isso, a igreja precisa insistir em oração, em jejum, em testemunho, compartilhando e pregando para que, no tempo determinado, as pessoas possam reconhecer a benção da salvação e ficarem livres da maldição que é a condenação eterna.

A benção da salvação e da aproximação de Deus não pode ser paga ou retribuída por nós. Recebemos a graça da salvação e por isso hoje somos livres da maldição e podemos declarar e anunciar a salvação em Cristo Jesus. A igreja não pode deixar de testemunhar porque diariamente, vemos pessoas morrendo sem Cristo. É nossa responsabilidade comunicar a obra redentora de Cristo, nos escutem as pessoas ou não. Hoje somos resultado da graça, da misericórdia de Deus sobre nós, mas, no passado,Deus usou alguém para que olhasse para nós como almas necessitadas da salvação. Não podemos nos impressionar com a aparência, antes devemos anunciar o que Jesus fez por nós, porque Ele é capaz de fazer também por outras pessoas.

Regeneração: Jesus nasceu fisicamente por obra, poder e graça do Espírito Santo e toda pessoa regenerada por Cristo nasce espiritualmente por obra de Cristo (Tt 3:4,5). Foi o Espírito Santo quem preparou a obra redentora de Cristo e é quem trabalha para que hoje possamos ter vida.

Estávamos mortos em nossos delitos e pecados, mas o mesmo Espírito que fez a obra para que Jesus viesse em carne, fez a Sua obra em nós para que pudéssemos viver em Espírito, debaixo da Sua direção e da Sua palavra. Não há diferença. Como o Espírito agiu em Jesus, ele agiu nos demais filhos de Deus. Da mesma forma que Jesus se sujeitou à vontade do Pai, Deus espera que todos os Seus filhos se sujeitem à Sua vontade. Nós fomos gerados do mesmo Espírito que Jesus, por isso temos a condição de sermos semelhantes a Ele.

Nós somos luz do mundo, sal da terra, templos do Espírito Santo, servos do Deus altíssimo. Nada pode tirar essa vocação de nós.

Regenerar é o mesmo q gerar de novo, renascer. O homem natural está morto em seus delitos e pecados, é uma espécie de morto vivo (Lc 9:60), mas quando o homem abre seu coração para Deus, o Espírito Santo planta nele a semente divina (1 Jo 3:9,10) e a natureza de Deus traz vida para onde só havia morte.
Todo aquele q é nascido de Deus n vive na prática do pecado. Pecamos, falhamos, mas não temos alegria, prazer em pecar. Nós, em nossas limitações estamos sujeitos a errar, pecar a falhar, o que é totalmente diferente de quem se alegra, planeja, fica ansioso pra praticar o pecado.Os filhos de Deus n vivem na prática do pecado, n se escondem atrás da religião, mas reconhecem q o peado faz separação entre nós e Deus. Por isso, quando pecamos, temos liberdade p orar e confessar nosso pecado e Ele é fiel e justo para nos perdoar e purificar.

Todos podemos errar, pecar, mas nós não desejamos, não temos a motivação de pecar, pelo contrário, quando isso acontece, imediatamente confessamos, deixamos o pecado e nossa comunhão é restabelecida. E quando isso acontece, voltamos a sentir prazer na oração, no louvor e na leitura da palavra de Deus.

Habitação - Somos a habitação do Espírito da verdade que o mundo n pode receber (Rm 8:9). No Antigo Testamento, Deus estabeleceu a festa dos Tabernáculos (Lv 23:24). Essa festa teve seu cumprimento profético em Cristo, mas hoje o ES está habitando aqui na Terra, em nossos corpos, que são templos do Espírito (1 Co 6:19), por isso precisamos tomar cuidado com como usamos nossos corpos. Isso nos permite saber a direção, pois Ele nos guia em toda a verdade (Jo 16:13), nos protege, refrigera, ilumina e aquece.

Santificação - 1 Pe 1:2 / 2 Ts 2:13. O Espírito Santo nos santifica mediante a Palavra de Deus (Jo 17:17), o sangue de Cristo (Hb 13:12) e a oração persistente (Rm 8:26, 27 / 1 Tm 4:5).

O maior problema da geração dos Israelitas que saiu do Egito é que o Egito nunca saiu deles. O Egito é uma figura da mentalidade mundana, do velho homem que as vezes permanece me nós, mas Deus quer tirar o “Egito” das nossas mentes (Tg 1:21). A regeneração nos torna novas criaturas (2 Co 517). Somos como bebês diante de Cristo (1 Co 3:1), mas precisamos crescer (HB 5:11-14). A santificação produz a edificação na vida da igreja (Ef 4:11-16).

É um processo que dura a vida toda, mas para que seja eficaz, precisamos estar comprometidos com a leitura bíblica, oração diária, etc. A cada dia somos transformados na perfeita imagem moral de Cristo. As dificuldades q passamos são instrumentos do Espírito para moldar nosso caráter (Rm 12:2). Com o passar do tempo, vamos pensando, falando e principalmente agido como Jesus Cristo. Isso é a santificação na prática.

Glorificação - Rm 8:18 / 1 Co 15:42 / CL 3:4. O Espírito de Deus habita em nós, mas ainda não temos muita noção disso. No dia do arrebatamento da igreja, Ele transformará nosso corpo e nos levará ao encontro do Senhor nos ares (1 Ts 4:17).

O Espírito Santo nos alcançou para Cristo, produziu uma mudança de natureza e continuará a nos moldar até o dia em q formos arrebatados. A partir de quando Deus nos deu o Seu Espírito Santo, temos convicção, regeneração, habitação, santificação e glorificação em nossa vida. 

Domingo a noite
Preletor: Pr. Isaías
Texto base: Jo 16:8-11

Flash Submersos - A Pessoa e Obra do Espírito Santo
Jubrac Jacuí20:28

Do início (Gn 1:1,2) ao fim (Ap 22:17) das Escrituras, podemos vemos o agir da Terceira Pessoa da Trindade. Mas, quem Ele é e o que faz?

A Personalidade do Espírito Santo

A primeira característica pessoal do Espírito Santo é a razão ou inteligência (Jo 14:26 / Rm 8:16). Ele ensina porque sabe e sabe porque raciocina, porque Ele pensa.

O segundo atributo de personalidade do Espírito Santo é a vontade própria (At 16:7). Por Sua sabedoria, Ele estabelece critérios para distribuir os dons pela igreja (1 Co 12:11).

A terceira característica da personalidade do Espírito Santo são os sentimentos (Is 63:10 / Ef 4:30).

Por último, a bíblia revela a personalidade do Espírito Santo por meio do que Ele realiza (Sl 139:7). Além disso, o Espírito fala, nomeia e envia líderes (At 13:2). Ele também intercede e ajuda os crentes piedosos (Rm 8:26). Ele guia e revela (Jo 16:14 / 1 Co 2:10,11).

Precisamos ter profundo conhecimento da bíblia para conhecermos as características do Espírito Santo e não sermos enganados por correntes que acreditam e pregam o contrário do que diz a bíblia. Alguns grupos, inclusive, afirmam que o Espírito Santo não faz parte da trindade por ser Espírito e não possuir corpo, mas Jesus disse que Deus é Espírito e não pode ser limitado a um corpo físico (Jo 4:24). A palavra revela o que é de direito da igreja saber e nos afirma que o Espírito Santo é sim a Terceira pessoa da Trindade.

A divindade do Espírito Santo

A divindade é a essência divina, Deus. Do ponto de vista teológico, o Espírito Santo também é Deus porque possui atributos divinos como eternidade, não tendo início nem fim (HB 9:14), onipresença, estando em todo lugar (Sl 139:7 / Jn 1:9,10), onipotência, Ele pode todas as coisas (1 Co 12:11/Rm 15:19) e onisciência, conhecendo todas as coisas (Is 40:13,14/Rm 11:34).

O Senhor conhece todas as coisas e todas as nossas atitudes e isso deve nos causar alegria. Já foi o tempo em que, ao ouvirmos isso, ficávamos cheios de temor, de insegurança. Como igreja, temos segurança em saber que Deus conhece tudo em nós, todos os nossos pensamentos e nossas obras. Não podemos viver com máscaras nem fugindo desta que é a nossa realidade.

Se os nossos pensamentos e obras não estão glorificando ao Senhor, temos a promessa de que, se confessarmos nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar e purificar de toda a maldade. Esse direito foi adquirido na cruz e Ele quer que o exerçamos.

Obras divinas realizadas pelo Espírito Santo

As obras divinas realizadas por Ele põem em destaque Sua natureza divina. Ele é o Espírito Criador (Gn 1:2 / SL 104:30) que também criou o homem (Jó 33:4). No princípio, quando não havia nada, o Esp. de Deus trouxe tudo à existência.

Ele também inspirou os autores humanos a escrever a Bíblia sagrada (2 Pe 1:21 / 1 Pe 1:10-12). O milagre da regeneração do homem é obra exclusiva do Espírito Santo (Jo 3:5,6/ Tt 3:5). Quando cremos em Cristo, o Espírito produz uma nova vida em nós e nos faz renascer espiritualmente (2 Pe 1:4). Quando o homem crê na obra da salvação de Cristo Jesus, o Espírito Santo o convence e o homem agora nasce espiritualmente. Por isso, nossas atitudes são diferenciadas das dos que não passaram pelo novo nascimento. O mundo precisa ver que nós passamos de verdade pela experiência do novo nascimento, do estado carnal para um estado espiritual.

Deus diz que o seu povo pode ouvi-lo e compreendê-lo porque é o Espírito falando a seres que também são espirituais. Existem pessoas que não entendem o que a Bíblia diz, por exemplo, porque seus olhos ainda não foram abertos, mas quando o EspíritoSanto os abrir, a pessoa consegue compreender e viver com profundidade a verdade. Aqueles que ovem a Deus tem autoridade para falar de Deus.

Outra obra exclusiva da divindade é a ressurreição dos mortos (RM 8:11). A igreja crê que, assim como Jesus saiu da sepultura, nossos irmãos que dormem no Senhor serão ressuscitados. Ele tem esse poder porque Ele é a própria vida (RM 8:10).

Além das obras divinas do Espírito Santo, a bíblia fala que Ele está unido ao Pai e ao Filho por meio do processo batismal (MT 28:19), na benção apostólica (2 Co 13:14), no batismo de Jesus (Mt 3:16, 17), na unidade da Sta Trindade (1 Jo 5:7) e na distribuição de dons e ministérios na igreja de Cristo (1 Co 12:4-6).

Como vimos, o Espírito Santo é uma pessoa porque sente, pensa e tem vontade própria. A Bília nos revela que não é preciso ter um corpo para ser uma pessoa. Portanto, o Espírito Santo existe como espírito eterno. Além disso seu atributo divino de onipresença n permite que Ele fique limitado a um corpo físico.

Domingo de manhã
Preletor: Pr. Isaías
Texto base: At 5:3-4

Flash Submersos - Poder para morrer
Jubrac Jacuí20:24

No texto de At 1:1-8, há a promessa de que receberemos poder, o que significa que seremos testemunhas de Jesus e receberemos poder para morrer.

LC 22:54 e 57 relata a história de Pedro vivendo exatamente isso. Ele acreditava que Jesus era o Messias, mas vê Jesus sendo preso, humilhado, martirizado e Pedro começa a ficar com muito medo e a seguir Jesus de longe para pelo menos ver o que aconteceria com Ele. Após a morte de Jesus, isso também aconteceu com todos os discípulos, como podemos ver em Jo 20:19.

Em Jo 21:13, Pedro decide voltar à sua rotina anterior de pescador e os outros discípulos decidem ir com ele. Eles ficam animados quando Jesus aparece, mas só ficam tranquilos de verdade quando Jesus garante que, apesar de ir embora, vai mandar outro como Ele para estar o tempo todo conosco e os instrui a ficarem em Jerusalém (Lc 24:49). E após Jesus ser assunto ao céu, vem os anjos e dizem pra os discípulos obedecerem e esperarem em Jerusalém. Se Jesus mandou você esperar, espere porque Ele vai fazer.

Quando eles estão reunidos em Jerusalém, vem do céu um barulho como vento e eles são cheios do Espírito Santo (At 2:1-18). Então, o mesmo Pedro que estava acompanhando Jesus de longe, agora cheio do Espírito Santo, se coloca em pé e explica que eles não estão bêbados, mas explica que eles estão cheios do Espírito Santo, como profetizou o profeta Joel (At 2:17).

Depois da vinda do Espírito Santo, as coisas começam a mudar e tomar um novo rumo. Pedro e João vão ao templo orar e encontram um paralítico a porta do templo (At 3). Eles n tem esmola, mas dão o que tem: ele é curado. E em AT 4:3 relata que, apesar de eles terem feito bem ao paralítico, foram para a prisão e Pedro se lembra da palavra que Jesus tinha dito em Lc 21:12-19. Diante do Sinédrio, eles começam a testemunhar de Jesus porque estavam cheios do Espírito Santo (At 4:7). Em At 4:31, relata que eles foram soltos e oraram. Por continuar pregando, Pedro é interrogado novamente At 5:27 e prega novamente diante do Sinédrio.

At 6:8-10 fala sobre Estevão que, mesmo preso, humilhado e com falsa testemunha ainda tinha o rosto como de um anjo, o que reforça que seremos cheios do poder para sermos mortos por amor ao Seu nome. Em At 7:54-60, Estevão cheio do Espírito Santo continua dar testemunho de Jesus e vê a glória de Deus. Cheio do Espírito Santo, recebe poder para morrer.

Às vezes, a gente tem impressão de que o Espírito Santo vai vir sobre nós e nós seremos sobre-humanos, mas o poder que recebemos é pra pregar, se as pessoas não gostarem da nossa pregação, nos perseguirem e até matarem e nós dormiremos para acordar na glória com Deus. Sem o Espírito Santo, não aguentamos as afrontas nem ser mártir por sermos testemunhas de Cristo.

At 8: 1-4 fala sobre a dispersão da igreja por conta da perseguição, o que fez com que o evangelho se disseminasse mais ainda, pois eles começaram a estabelecer igreja por onde passavam.

At 9:11-16 começa a contar de Saulo, que já começa sua vida cristã com a consciência de que sofreria pela Mensagem. Então a partir de At 9:23, as pessoas começam a planejar matá-lo, a persegui-lo como também a Barnabé (At 13:50-52 / At 14:1-7), Paulo foi apedrejado (At 14:19,20), preso com Silas (At 16:19-24) e se meteu em mais confusão ainda (At 17:15), mas é o mesmo Paulo que fala em Gl 2:20 que já está crucificado com Cristo e a vida que vive hoje é pela fé no filho de Deus. É dessa fé que precisamos para morrer.

Existe uma morte que nós temos que morrer todos os dias: a morte para o eu, para o ego, para nossos próprios planos e sonhos. A gente fica emocionado quando ouve falar de missionários e de quem vai e se arrisca para pregar o evangelho, mas quando o Espírito Santo nos fala que temos que morrer, a gente tem uma certa dificuldade.

Deus quer q vivamos em santidade, apesar de, no mundo, ouvirmos que santidade, virgindade é uma besteira e nos humilharem por sermos diferentes, mas o que Deus ensina é que devemos passar por isso felizes, estando cheios do Espírito Santo.

Nós podemos morrer para nossas vontades, para nosso orgulho. Mas, para morrer, precisamos estar cheios do Espírito Santo.

Sábado pela manhã
Preletor: Pr. Luciano
Texto base: At 1:1-8

Flash Submersos - Tempo com Deus
Jubrac Jacuí20:21

Quando pequena, a Paula relata que ouvia falar que Jhon Wesley passava de 6 a 8h orando e se perguntava o que ele tanto tinha para falar com Deus, por que ele passava tanto tempo orando.

Dúvidas como essa vem em nossos corações porque nos falta experiência de oração. Às vezes, enxergamos a oração como uma varinha de condão que faz tudo acontecer em nossas vidas, mas isso não é o que Deus tem para nós.

Normalmente quando começamos a orar, fazemos pedidos diante de Deus e em raros casos, começamos a agradecer a Deus pelo que Ele faz. Mas pense em um relacionamento baseado em pedidos: toda vez que você vê uma pessoa que você ama muito, ela vem te pedir um favor. Você gostaria de se relacionar com alguém assim? Claro que não, porque quando a gente se relaciona, quer compartilhar sonhos, projetos, coisas que vivemos, ouvir um "eu te amo", porque isso é um relacionamento. Mas quando a oração fica só no nível de pedido, não entramos nesse nível mais profundo.

Para nos ajudar a orar, podemos seguir o modelo de oração apresentado no livro Ocupado demais para deixar de orar, que é baseado na sigla ACAS.

Adoração - focar-se em Deus - quando conhecemos mais quem Deus é e o reconhecemos em nossas vidas. Quando você for iniciar o seu momento de oração, comece agradecendo e adorando a Deus por quem Ele é. A adoração tem duas palavras-chave: o reconhecimento e a gratidão. Nós precisamos reconhecer quem Deus é para nós para começarmos a ver a ação de Deus em tudo.

Confissão - Nomeando pecados - 1Jo 1:9. Quando confessamos nossos pecados diante de Deus, estamos indo mais fundo e tirando aquilo que nos afasta de Deus - o pecado. Ao confessarmos a Deus, estamos concordando com Deus que estamos errados, que fomos perdoados e que estamos arrependidos e quando se fala de arrependimento, estamos falando de uma mudança total de atitude. Quando confessamos dessa forma, é bem diferente de quando falamos: Senhor, perdoa todos os nossos pecados, porque assim, nós não reconhecemos exatamente o que fizemos.

Agradecimento - expressar gratidão - quando lemos sobre os dez leprosos, vemos uma proporção: 10 pessoas foram curadas e só uma voltou para agradecer e isso mostra como somos: mais propensos a pedir do que a agradecer. Você já agradeceu a Deus pela sua família, seus amigos, sua casa, coisas simples como essas? Quando temos o coração grato, agradecemos a Deus por tudo que acontece e Deus quer nos levar a esse nível de gratidão. Deus se enche de alegria quando o agradecemos e entendemos o que Ele faz em nossas vidas.

Súplica - pedidos, petições - em último lugar no nosso modelo de oração. Podemos pedir a respeito de tudo. Uma das coisas que hoje assola nossos corações é a ansiedade, mas em Fp 4:6, temos um exemplo de como proceder: apresentar a Deus toda nossa ansiedade e pedidos. Podemos pensar na súplica como quando jogamos uma pedra na água e isso cria um reflexo que vai aumentando. O começo é quando pedimos por nós e nossa família, então, aumenta pra nossa igreja, aumenta um pouco mais, oramos pela cidade, pelos vizinhos, aumenta ainda mais e oramos pelo país e pelos missionários e pode aumentar ainda mais e mais. Mas, às vezes oramos só por nós e nossa família, ficando no raso e deixamos de desfrutar de outras bençãos que podem alcançar também a nós quando pedimos pelo país, por exemplo. Deus responde quando o pedido, o momento e você estão na posição certa. Devemos nos perguntar: Qual é minha motivação para pedir isso? O que estou pedindo glorifica a Deus ou edifica quem está ao meu redor? Às vezes Deus demora para nos responder pra testar a nossa fé, pra mudarmos nosso pedido ou para que nosso caráter seja desenvolvido. Como é difícil esperar! Mas enquanto esperamos, Deus está trabalhando e agindo em nós. Quando há pecado ou há alguma coisa errada em nossa vida, isso também pode atrasar a resposta. Quando essas coisas acontecem, elas podem fazer com que Deus demore para nos responder, mas quando estamos com tudo isso certo, ele nos diz: "Vai e faz".

Existem também os destruidores de oração:
  • A falta de oração (Tg 4:2);
  • O pecado não confessado (Is 52:11);
  • Conflitos não resolvidos - a palavra diz que quando temos algo contra alguém, primeiro temos que ir e resolver para que isso não impeça nossa oração de chegar a Deus;
  • O egoísmo;
  • A atitude displicente (Pv 21:13).
Sábado pela manhã
Preletora: Paula Freitas

Flash Submersos - A Teologia do Espírito Santo na História
Jubrac Jacuí20:12

O Espírito Santo no Antigo Testamento

Curiosamente, a expressão Espírito Santo aparece apenas 3 vezes no Antigo Testamento. Contudo, há cerca de 80 citações relacionadas ao Espírito Santo no Antigo Testamento: Ele aparece como executor da vontade de Deus; atua em pessoas específicas como Moisés; no tempo dos Juízes, Deus coloca Seu Espírito sobre os juízes escolhidos para conduzir a nação; quando Saul foi escolhido Rei de Israel, o Espírito do Senhor se apossou dele e, quando ele insistiu em desobedecer a vontade de Deus, o Espírito saiu dele, ficando apenas em Davi e o inspirando a escrever Salmos e poesias. Também com os profetas, Deus os encheu com Seu Espírito para usá-los de forma poderosa para falar com Seu povo. Isso mostra como o Espírito Santo, mesmo que ainda não tivesse sido derramado, atuava em meio ao povo de Israel.

O Espírito Santo no Antigo Testamento

Já no Novo Testamento, o Espírito Santo é narrado atuando na vida de Jesus, o Messias e é citado pela primeira vez já no anúncio do nascimento de Jesus (Mt. 1:18 e 20). Portanto, desde as profecias do nascimento de Jesus, podemos notar o quanto o Espírito Santo agia e estava presente na vida do Messias enviado (At 10:38).

Isso é uma evidência incontestável de que Jesus viveu e teve seu ministério totalmente na dependência do Espírito Santo, tendo realmente se esvaziado de si mesmo para ser cheio do Espírito de Deus e cumprir sua missão redentora pelo Seu poder (FP 2:5-8).

O que vemos na obra da redenção é toda a Trindade reunida para trazer o homem novamente a Deus, ou seja, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo trabalhando como um só. E por fim, na história de Jesus Cristo, é o Espírito Santo quem o ressuscita (RM 8:11).

Então, antes de ser assunto ao céu, Jesus instrui seus discípulos a aguardar pela vinda do Espírito Santo em para que recebam aquele que será o comandante que está adiante da igreja, o Espírito Santo que os reveste de poder. Quando a palavra afirma de maneira categórica que as portas do inferno não prevalecerão contra a igreja, não é porque a igreja é de uma religião ou superior a qualquer outra, mas porque o Espírito Santo está no comando da igreja.

No dia de Pentecostes, o Espírito Santo é derramado sobre a igreja para nunca mais deixá-la. Jesus falou: Espírito Santo, fica para sempre. As perseguições vêm, as adversidades vêm, mas o Espírito Santo não abandonará a igreja. Nem levante do inimigo, nem avanço da tecnologia, nada fará com que o Espírito Santo abandone a noiva do Cordeiro.

A partir de quando o Espírito Santo foi derramado, a igreja passa a batizar os novos convertidos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Que ousadia! Aquele Espírito Santo que era conhecido apenas em alguns momentos e por alguns homens do velho testamento, agora os discípulos batizam a multidão em nome dos três e eles tem essa autoridade porque agora, o Espírito Santo está com a igreja.

Há mais de 55 referências ao Espírito Santo somente no livro de Atos dos Apóstolos. Aliás, esse livro também poderia ser chamado de Atos do Espírito Santo, porque Ele veio para organizar a igreja e fazê-la crescer. O crescimento da igreja não passa por estratégias humanas ou dogmas. O crescimento quem dá são Deus e o Espírito que atua na igreja.

Nós podemos pregar, curar os enfermos porque é Deus quem realiza a obra e traz o crescimento da igreja, como em Atos 13:1-3. Não há dúvida de que é nos escritos do Apóstolo Paulo que Deus nos permite conhecer de maneira sistemática a pessoa e obra do Espírito Santo, como em Rm 8:9 e 14. Nas cartas de Paulo, encontramos a doutrina do batismo com o Espírito Santo (1 Co 12:13) e aprendemos que é o Espírito Santo quem insere o novo crente no Corpo de Cristo (Ef. 1:23).

Quando o Espírito Santo convence uma pessoa, a igreja, o Corpo está aqui. Cabe ao Espírito conduzir o novo membro a fazer pare do Corpo de Cristo. Isso não é feito com arranjos ou sabedoria humana. É o próprio Espírito Santo quem faz com que aquela pessoa se torne parte do Corpo de Cristo. A partir disso, o Ele tem toda a liberdade para agir na vida da pessoa e fazê-la crescer, prosperar. Quando Ele insere alguém no Corpo, não é para a pessoa ficar estagnada, parada, mas para que a igreja e a pessoa cresçam, pois é o Espírito Santo quem enche, quem comanda, quem enxerta, quem faz, ou seja, estamos seguros nas mãos desse Deus todo poderoso.

Quando oramos a Deus, não oramos sozinhos e Deus fica de longe tentando escutar. Antes, o Espírito nos ajuda intercedendo por nós, como Paulo escreve em Rm 8:26. Será que quando a igreja ora Deus pode nos responder, sendo que Ele mesmo é quem intercede por nós? A palavra de Deus garante: a oração do justo pode muito porque quem intercede por nós é o Espírito Santo de Deus.

Imagina a sabedoria de Deus: em um mundo de trevas, onde o que impera é a maldade, Deus chama Sua igreja para fora e nos dá os frutos do Espírito (Gl 5:22,23) e nos conduz novamente ao mundo como a ovelhas em meio aos lobos. O mundo não entende como alguém pode viver com essa graça e não sabe como lidar com essas coisas porque o q faz sentido para o mundo é o oposto da maneira como o Espírito nos ensina a viver.

O próprio Espírito Santo inspirou Paulo a sistematizar a doutrina do Deus que habita em nós. A igreja é a habitação de Deus no Espírito Santo e não pode ter dúvida disso. Deus habita em nós. Não em templos, mas em mim e em você.

O Espírito Santo sob a perspectiva escatológica

No livro profético do Apocalipse, o Espírito Santo aparece o tempo todo. Seu trabalho na terra é a formação e a edificação do Corpo de Cristo, que é a igreja (Ap 22:17). Quando os salvos chegarem ao céu, então virá ao fim, como está escrito em RM 11:25. Ou seja, agora é hora da igreja. A graça está sobre nós. Agora é o momento de pregarmos, comunicarmos a Mensagem de Cristo, mas chegará uma hora em que o tempo se encerrará. A porta está aberta e aquele que abriu, ninguém pode fechar, mas quando Ele fechar, ninguém mais poderá entrar. Por isso, agora é tempo de falar que Jesus salva, cura, batiza com o Espírito Santo.

Então, se cumprirá a promessa da vinda de Cristo para nos buscar (Jo 14:3). Essa é nossa viva esperança.

Primeiro, Deus ressuscitará os que morreram em Cristo (1Ts 4:13-17) e, em seguida, haverá a transformação gloriosa dos crentes para o arrebatamento da igreja (1 Co 15:51,52). Cristo foi o primeiro a ser ressuscitado em glória (1Co 15:20) e os crentes santificados serão os próximos na vinda dele (1 CO 15:23).

Tudo o que Deus deu a Moisés como ritual era símbolo do que Ele faria em Cristo. Assim como o ritual dos molhos de cereais e do sacrifício do cordeiro em Lv 23:9-14 , Cristo morreu e ressuscitou e nós podemos ter a esperança de que ressuscitaremos com Ele. Jesus vive e se Ele vive, aqui está um povo que vive a vida de Deus e da mesma forma que o Espírito Santo ressuscitou a Jesus, ele ressuscitará os escolhidos naquele dia (Rm 8:11 / 1 Co 614 / FP 3:21).

Hoje, a morte olha e vê o corpo se decompondo e entende que prevaleceu, mas o Senhor Jesus ressuscitou e, com isso, diz que a morte não venceu. A morte venceu uma batalha, mas não a guerra porque a palavra diz que somos mais do que vencedores em Cristo Jesus. Hoje, a morte arranca lágrimas de nós, mas temos a esperança de que na eternidade, Ele enxugará toda lágrima (At 2:38,29 / 1 Co 6:19).

É por meio do Espírito Santo que seremos arrebatados e iremos ao encontro de Jesus nos ares (1 Ts 4:17). Assim como os foguetes e aviões precisam de combustível, nós seremos arrebatados porque o Espírito Santo já está em nós e quando a igreja for ao céu, Ele irá conosco. Ele é nosso combustível e nos leva para a glória.
Mas o tempo virá quando Ele finalmente retornará aos céus juntamente com a igreja. Na hora que o Pai disser para Ele voltar e levar consigo a noiva, nada nessa Terra poderá nos impedir porque nosso coração não está no ouro, na prata, no poder, mas em Deus e quando a hora chegar, subiremos pelo poder do Espírito Santo porque Ele está em nós, Ele não nos deixa nenhum minuto sequer!

Após o arrebatamento, o Espírito Santo volta a agir na Terra como agia no Velho Testamento, apenas em momentos e pessoas específicas. Mas antes de tudo isso, a igreja e o Espírito se unem para declarar: Maranata, ora vem, Senhor Jesus.

O anticristo está na Terra desde os tempos remotos, mas é impedido de agir pelo Espírito Santo (2 Ts 2:7) e quando o Ele não estiver mais aqui, ai daqueles q ficarem (Ap 12:12).

A palavra original "espírito" do grego também pode ser traduzida como fôlego. Devemos tudo ao Espírito de Deus, pois sem Ele não haveria vida, muito menos as escrituras (Tg 1:21 / Gl 5:16, 17)

Para o Espírito Santo agir em nós, é necessário submissão constante e total dependência de Deus (EF 5:18).

Sexta-feira à noite
Preletor: Pr. Isaías
Texto base: 2 Pe1:21

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

#FlashLec especial 50 anos de Jubrac SP
Jubrac Jacuí08:26

1 João 2:14

Por que os jovens são fortes? A palavra Deus não está dizendo que somos fortes por nossa força física, audácia,  capacidade intelectual ou acadêmica. Mas guarde com você: Nós somos fortes porque a palavra de Deus, que é viva, permanece em nós.

A palavra também não diz que vamos vencer ou que talvez venceremos. A palavra não diz que precisamos de batalhas para sermos vencedores e sim que nós já temos vencido o maligno!

Nós somos fortes e já vencemos o maligno! Por que vencemos o maligno? Porque a palavra de Deus está em nós, em nossa vida. 

Em 2 Co 5:15, está escrito que somos nova criatura e em Gl 2:20, que Cristo vive em nós. Esta é a razão pela qual somos fortes!

Já vencemos o maligno porque:

1. Não vivemos mais na prática do pecado
2. Pertencemos a Cristo
3. Fomos libertos do poder e do domínio de Satanás

Já vencemos o maligno porque somos mais que vencedores em Cristo Jesus!

A igreja depende de jovens que estão crescendo no seio dela que são fortes e já venceram o maligno para resgatar almas das trevas!

Nós contamos com vocês!

Palavra Ministrada pelo Pr. Orlando Silva no LEC de Dezembro/2014. Resumo da palavra por Dani Motta.